Meu Apoio a José Serra

28 out

Apóio o Serra, pois creio que ele é o mais preparado para governar o Brasil e o mais comprometido com o desenvolvimento sustentável, ao contrário da candidata Dilma, que sempre se opôs as questões ambientais, razão pela qual a senadora Marina Silva deixou o PT.

É sabido que durante o Governo Estadual de Serra foi sancionada a Lei Estadual de Mudanças Climáticas (http://ow.ly/2ZKP3 ). Esta lei estabelece uma meta de redução de 20% de emissões de gases do efeito estufa até 2020 (com base nos dados de 2005). Durante o governo de Fernando Henrique Cardoso foi criado o Fórum Brasileiro de Mudanças Climáticas (www.forumclima.org.br) e no governo Alckmin foi criado o Fórum Paulista de Mudanças Climáticas Globais e de Biodiversidade (do qual até fui Secretário Executivo) (www.bioclimatico.com.br).

A candidata Dilma, em contrapartida, em inúmeras ocasiões mostrou-se pouco envolvida com questões ambientais. Por exemplo entre 2003 e 2010, quando exerceu a Presidência do Conselho de Administração da Petrobras (como Ministra de Minas e Energia e Ministra Chefe da Casa Civil), não exigiu o cumprimento integral das normas (Lei Federal de n.º 8.723/93 de minha autoria) que obrigavam a produção e distribuição de um diesel mais limpo (S-50), com menor adição de enxofre (não podemos esquecer que nossa frota de ônibus é abastecida com o diesel S-500, de péssima qualidade, e este enxofre se transforma em poluição do ar).

*S-50 é 50 partes por milhão de enxofre, o S-500 atual tem 500 partes por milhão.

Sobre a qualidade de nosso ar, especificamente, chamo atenção para a enorme dependência do Brasil em relação ao transporte pesado (ônibus e caminhões) movido a este diesel altamente poluente, o que além de gerar problemas ambientais também representa menor eficiência energética e desequilíbrio com os outros modais de transporte.

Há estudos técnicos que mostram que melhorar o diesel custaria R$ 875 milhões por ano, ou R$ 72 milhões por mês. Não fazer estes investimentos significa matar precocemente cerca de 6 mil brasileiros por ano, sendo metade na Região Metropolitana de São Paulo. Este investimento é irrisório para a Petrobras, que anunciou mais de R$ 300 bilhões em 2020 para a exploração do petróleo na camada pré-sal.

Como podem perceber, está não é meramente uma questão ambiental, e sim de SAÚDE PÚBLICA.

A posição partidária do PV foi a independência: permitindo assim que os filiados fizessem suas escolhas. Essa é a premissa da democracia, a possibilidade de se possuir idéias diferentes.

Aliás, não estou sozinho nesta escolha e me considero muito bem acompanhado por Fernando Gabeira e Eduardo Jorge, que escreveu um artigo na Folha de S.Paulo (“Vermelho, azul e verde” O apoio ao candidato Serra é uma escolha que leva em consideração a emergência ambiental e a consolidação democrática do nosso país texto reproduzido aqui: http://ow.ly/2Zww0 )

Também há a uma questão central importantíssima do Porto Sul, o qual o manifesto detalhado foi publicado no post anterior: O Porto Sul é obra prioritária do PAC (Governo Federal do Lula) e provavelmente seria continuada por Dilma.

E, finalmente, não podemos esquecer que a alternância de poder é um fator primordial para a manutenção da democracia.

Sem Comentários

Deixe um comentário